Terapia Ocupacional e a Integração Sensorial.

Integração Sensorial

Surgiu na década de 70 nos Estados Unidos, desenvolvida pela Terapeuta Ocupacional A. Jean Ayres, é baseada em conhecimentos de neuropsicologia, neurologia, neurodesenvolvimento e fisiologia. A abordagem tem como objetivo promover a integração das sensações, principalmente dos sistemas tátil, vestibular e proprioceptivo, através de brincadeiras e atividades lúdicas com a participação ativa da criança, aumentando assim a habilidade de processamento das informações e respostas apropriadas aos estímulos. Quando a criança não processa corretamente essas informações ela pode desenvolver o Transtorno de Processamento Sensorial.  A terapia ocorre em um ambiente aconchegante, organizado, motivador, alegre, rico em materiais e equipamentos (suspensos e de solo), que promove oferta sensorial adequada às possibilidades e necessidades da criança. A organização sensorial propicia o desenvolvimento do esquema corporal, maturação dos reflexos, segurança postural, consciência dos dois lados do corpo e planejamento motor, resultando em um comportamento organizado através do aprendizado social, emocional e do organizado através do aprendizado social, emocional e do desempenho escolar.


setting terapêutico de integração sensorial.

Transtornos de Processamento sensorial

Transtorno de Modulação Sensorial

Refere-se ao ajuste da percepção da intensidade, da frequência e duração do estímulo recebido. A criança responde que responde de modo inadequado ao estímulo, pode, apresentar:  1) Hiper Responsivas: Respostas aversivas ao estímulo, ter medo de balanços, elevadores ou escadas, evitar brincadeiras de pular, não gostar de abraços ou toques repentinos, se incomodar com a etiqueta da blusa, evitar comer determinados tipos de alimento ou se incomodar facilmente com barulhos.  2) Hipo Responsivas ao estímulo: derrubar e esbarrar frequentemente nas coisas, não se incomodar com rosto ou mãos sujos, procurar constantemente brinquedos de rodar ou brinquedos altos, tocar muito (e com força) em objetos ou pessoas.  3)Respostas que variam. Neste caso, em alguns momentos a criança apresenta respostas aversivas e, em outros, respostas baixas ou até adequadas ao estímulo.

Transtorno Sensorial de Base Motora

Habilidades motoras estão prejudicadas, a saída motora é desorganizada. Isso ocorre quando o processamento de informações é realizado de maneira incorreta, afetando o controle posturais, gerando dificuldades de coordenação, planejamento motor, execução de movimento e dispraxias.

 ab1ca2_d76fc99a53fc58437511bcec68f52582_jpg_srz_580_450_75_22_0_50_1_20_0
Transtorno de Discriminação Sensorial

Discriminação é a habilidade para interpretar as características temporais e espaciais dos diferentes estímulos sensoriais.  O Transtorno de Discriminação Sensorial ou processamento incorreto de informação sensorial principalmente dos estímulos visuais ou auditivos podem ser vistos como desatenção, desorganização e mau desempenho escolar. As falhas de discriminação sensorial são identificadas por meio de testes específicos,como o SIPT, e não são examinados de forma isolada, porque geralmente, contribuem para outros problemas, como os transtornos motores de base sensorial.

Indicação para Tratamento:

• Atrasos do desenvolvimento neuropsicomotor; • TDAH; • Autismo; • Quadros neurológicos; • Deficiência física e intelectual; • Síndromes ; • Distúrbios de comportamento; • Paralisia Cerebral.

 

 

Compartilhar/Favoritos