Pilates na Esclerose Múltipla

Esclerose2Muito se fala sobre os benefícios do método de Pilates em pessoas saudáveis. O artigo que irei mencionar é a sobre os efeitos do Pilates no equilíbrio, na mobilidade e força muscular em pacientes com esclerose múltipla.  Eles avaliaram os efeitos no método Pilates em 26 pacientes com esclerose múltipla divididos em 2 grupos, o grupo que realizaram os exercícios de pilates por 8 semanas e o grupo controle que não realizaram os exercícios. Ao final do estudo eles observaram melhora do equilíbrio, da força muscular  e da mobilidade nos pacientes com esclerose múltipla e não observaram diferenças no grupo controle. Devido à sua estrutura, que é composta de exercícios de fortalecimento e equilíbrio, treinamento com o método de  Pilates podem desenvolver o equilíbrio, mobilidade e força muscular de pacientes com esclerose múltipla. Por esta razão, pensamos que,  os exercícios do Pilates que são apropriadas para o nível de incapacidade do paciente podem ser sugeridas.

Referência: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23949064

 

A Clínica Sphera possui um lindo e  moderno estúdio de Pilates em suas unidades

Unidada I: Rua: Soldado João de Oliveira, 326, Pirituba, São Paulo- SP.

( 11)  2367 – 6051 , (11)  2367 – 6584

Unidade II: Rua: dos Alpes, 603, Curuça, Santo André, SP.

(11)  4509 – 4460,  (11) 4509- 4460

Agende uma avAula experimental gratuíta

aliação com a fisioterapeuta especialista em neurologia

www.spherafisioterapia.com.br

Compartilhar/Favoritos

Osteoartrite e Treinamento Funcional

http://i0.ig.com/fw/45/72/zi/4572ziyfge6a5d7lxszlgx85q.jpg

A osteoartrite corresponde a um grupo de problemas que resulta em alterações anatômicas com conseqüentes repercussões nas articulações principalmente em joelhos, quadris, mãos e coluna vertebral.

A osteoartrite além de provocar dores, sensação de rigidez, edema (inchaço), ela também pode ocasionar perda dos movimentos, deformidades e até incapacidades do membro de acordo com a articulação atingida.

Em alguns casos não se conhecem os casos da osteoartrite primária ou idiopática, mas sabe-se que obesidade e esforços físicos repetitivos são alguns dos fatores de risco para a doença. Os casos secundários instalam-se como conseqüência de traumas, doenças reumatológicas, inflamatórias, doenças congênitas e enfermidades em que haja comprometimento dos nervos periféricos.

A maioria dos tratamentos para a osteoartrite envolve uma combinação elaborada para as necessidades de cada paciente. Os tipos de tratamentos incluem principalmente exercícios físicos, além de técnicas para o alívio de dor, remédios e terapias complementares.

Pesquisas mostram que exercícios físicos são uma das melhores formas de tratamento da doença. O Treinamento funcional também é indicado pois reduz dores e rigidez articular, melhora a flexibilidade e aumenta a amplitude do movimento, fortalece os músculos, proporciona maior estabilidade articular, Melhora da capacidade cardiorrespiratória refletindo em uma vida mais ativa, e ajuda na redução do peso corporal. O programa de exercícios não é apenas curativo. Ele também pode prevenir perdas de força muscular, de realização das atividades diárias, promover o controle de dor e evitar o estabelecimento de deformidades.

Em casos de pacientes com a osteoartrite grave e com idade mais avançada é preciso identificar se existe manutenção do quadro, pois a prática de exercícios físicos também é um meio de tratar e impedir a progressão da doença e das incapacidades associadas a ela.

Fonte: http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/osteoartrite/

http://www.copacabanarunners.net/artrose-tratamento.html

http://www.msdonline.com.br/pacientes/sua_saude/doencas_reumaticas/paginas/osteoartrite.aspx

SPHERA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA

http://www.spherafisioterapia.com.br

AGORA COM TREINAMENTO FUNCIONAL

SITUADA NA  RUA: SOLDADO JOÃO DE OLIVEIRA N 174 – SUBSOLO DA ACADEMIA ÁGUA VIDA. PIRITUBA, SÃO PAULO-SP

AVALIAÇÃO GRATUITA

AGENDE O SEU HORÁRIO (11) 2367 6584/ (11) 2367 6051/(11) 8266 9878

Treinamento Resistido Manual – A Musculação sem equipamentos

Treinamento Resistido Manual é qualquer metodologia de treinamento que utilize como princípio básico a aplicação de uma resistência que se oponha à tensão gerada pela contração da musculatura esquelética, com objetivo primário de desenvolver a força muscular em suas diversas manifestações (máxima, rápida, de resistência), ou seja, é o que podemos chamar de musculação sem equipamento e aparece como uma alternativa extremamente atraente pois oferece flexibilidade, comodidade e eficiência, já que os resultados são semelhantes aos do treino de força. É um tipo de treinamento que vem ganhando força entre os adeptos e também entre as pessoas que não gostam de ir à academia

A flexibilidade oferecida pelo Treinamento Resistido Manual vem do fato de que sua prática não depende de aparelhos de musculação, pesos ou anilhas. Todos esses equipamentos são substituídos por um companheiro de treino ou, no caso, pelo personal trainer. É ele que, ao impor resistência, emula a carga que o exercício exige.

Segundo Teixeira e Guedes Jr. (2010), a aplicação dos exercícios resistidos não se restringe às academias, podendo ser  realizada em qualquer outro ambiente, desde que exista uma resistência oposta à tensão gerada pela contração da musculatura esquelética. De acordo com Bryant (1990), os músculos não conseguem identificar a origem da resistência (barras, anilhas e etc.), somente identificam que existe uma resistência oposta e se contraem para resistir a ela.

Algumas vantagens:

  • Devido à possibilidade de rápido ajuste na resistência e na velocidade, o Treinamento Resistido Manual é uma boa opção na recuperação de indivíduos lesionados e/ou na prevenção de lesões;
  • Os músculos podem ser trabalhados de forma máxima em toda amplitude de movimento, em decorrência da acomodação da resistência;
  • A velocidade dos exercícios pode ser facilmente controlada. A força/velocidade empregada durante a série tende a diminuir com a instalação da fadiga, porém o parceiro de treino pode ajustar o nível de resistência (carga) para compensar a fadiga;

Fonte: http://www.educacaofisica.com.br/index.php/fitness/canais-fitness/musculacao/21437-musculacao-sem-equipamentos-prevenir-recuperar-lesoes;

http://www.caueteixeira.com.br/pdf/informe_caue.pdf

SPHERA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA

http://www.spherafisioterapia.com.br

SITUADA NA  RUA: SOLDADO JOÃO DE OLIVEIRA N 174 – SUBSOLO DA ACADEMIA ÁGUA VIDA. PIRITUBA, SÃO PAULO-SP

AVALIAÇÃO GRATUITA

AGENDE O SEU HORÁRIO (11) 2367 6584/ (11) 2367 6051/(11) 8266 9878

Afinal, o que é Treinamento Funcional?

Treinamento Funcional se baseia em um tipo de treinamento onde se trabalha gestos específicos ou não, de esportes (performance ou reabilitação) ou do cotidiano (saúde). Esse treinamento vem ganhando grande visibilidade devido a atual e crescente preocupação das pessoas com o bem estar físico e mental. O treinamento funcional é uma excelente forma de melhorar a qualidade de vida e prevenir lesões, pois o treinamento consiste em realizar exercícios específicos para melhorar a eficiência do movimento do praticante durante as tarefas do dia-a-dia.

O Treinamento Funcional se adapta a qualquer programa e objetivo de treinamento fazendo uso de equipamentos alternativos, por exemplo, elásticos, plataformas de desequilíbrio, bolas de todos os tamanhos, cama elástica, etc. O princípio do Treinamento Funcional é recrutar a musculatura estabilizadora do corpo trabalhando a propriocepção e não somente a musculatura superficial.

O treinamento é focado nos movimentos fundamentais e que são executados também no cotidiano que são: agachar, pular, avançar, abaixar, puxar, empurrar, levantar e girar. Qualidades como força, velocidade, equilíbrio, agilidade, coordenação, flexibilidade e resistência são integradas de forma a proporcionar ganhos significativos de performance para o indivíduo em sua atividade específica.

Qualquer pessoa com liberação médica pode praticar o treino funcional. Atletas o procuram para melhorar alguma habilidade específica como flexibilidade, coordenação motora, gestual, etc., crianças podem encontrar no treino funcional uma divertida atividade para o desenvolvimento corporal; homens e mulheres praticam para manter o peso e modelar o corpo adquirindo saúde e qualidade de vida; senhores e senhoras de mais idade, resgatam a autonomia, vigor, saúde e auto-estima com os exercícios funcionais. Não importa idade, sexo, ou condição física, todos podem desfrutar deste treino inovador.

Fonte: http://idsaudaveis.blogspot.com.br/2009/07/o-que-e-treinamento-funcional.html

http://www.studioadrianosantos.com/#!treino-funcional

SPHERA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA

http://www.spherafisioterapia.com.br

SITUADA NA  RUA: SOLDADO JOÃO DE OLIVEIRA N 174 – SUBSOLO DA ACADEMIA ÁGUA VIDA. PIRITUBA, SÃO PAULO-SP

AGENDE O SEU HORÁRIO (11) 2367 6584/ (11) 2367 6051/(11) 8266 9878

Corrente Russa

Na década de 80, foi verificado que os astronautas  russos, ao retornarem da missão espacial, sofriam de flacidez, atrofia, e fadiga muscular. Observando este quadro cientistas desenvolveram uma corrente excitomotora (Corrente Russa) para solucionar o problema no menor tempo possível.

Um equipamento com tecnologia de ponta (microprocessado e digitalizado), adotada pelos maiores centros de estética do mundo. É indolor e extremamente eficiente no tratamento da flacidez, modelagem corporal e recuperação com aumento da força muscular. Não é uma ginástica passiva. O paciente participa ativamente do tratamento. É eficaz para homens e mulheres porque respeita a fisiologia muscular e o seu metabolismo trabalhando as fibras vermelhas e brancas proporcionando resultados rápidos e altamente satisfatórios.

O Corrente Russa é um equipamento com tecnologia avançada, diferente das outras correntes existentes, por ser de média freqüência, fixada em 2500HZ, duplamente modulada, provocando maior contração até os músculos em planos profundos.

Na primeira modulação, selecionamos o tipo de fibra a ser trabalhada, assim como a carga aplicada à musculatura. Na segunda, o tempo de sustentação da contração e o intervalo de tempo entre contrações  consecutivas.Somente esse tipo de modulação é capaz de atingir todos os tipos de fibras que compõem um músculo e que se classificam em:

FIBRAS VERMELHAS: Ativadas primeiramente em um movimento, são responsáveis pela atividade postural, movimentos lentos e moderados. Têm grande capacidade de concentração, são resistentes e dinâmicas. Sua freqüência tetânica fica entre 20 HZ e 30 HZ.

FIBRAS INTERMEDIÁRIAS: Não tão resistentes quanto as vermelhas, nem tão rápidas como as brancas, são trabalhadas em exercícios de baixo impacto.

FIBRAS BRANCAS: Recrutadas numa atividade de explosão, alta velocidade ou movimento de destreza. Para ativa-las é necessário uma freqüência entre 50 HZ e 100 HZ. São responsáveis pelo aparecimento da flacidez, principalmente a partir dos 40 anos, quando diminuem, significativamente, até a ausência do neurotransmissor que excita a contração destas fibras. Por ser uma fibra superficial, é responsável pelo contorno corporal, e a dificuldade em recruta-la nos movimentos rotineiros faz do Corrente Russa um recurso exclusivo de excelente resultado no combate à flacidez associado à modelagem corporal.

Outra característica do Corrente Russa é sua capacidade de realizar, de forma verdadeira, uma contração isométrica, isotônica e isocinética trabalhando o músculo em sua capacidade máxima num tempo de terapia reduzido em relação a outros recursos. Sua utilização é fácil, podendo ser trabalhados  vários grupos musculares, respeitando os agonistas e antagonistas em contrações alternadas.

Um fator que também chama a atenção é a quantidade de energia  necessária a um bom resultado, respeitando os parâmetros fisiológicos musculares. Essa característica se define na relação de fase onde o profissional vai determinar a carga (20%  35%  e 50%) de acordo com as condições apresentadas pelo paciente e sua evolução no decorrer das sessões. O tempo de exposição e o tempo de relaxamento é outro ponto importante a ser avaliado, já que se alteram de acordo com a progressão das sessões.

Inicia-se o tratamento com 20 sessões, com duração de 10 à 20 minutos, realizadas duas ou três vezes na semana, podendo ser  trabalhados vários grupos musculares ao masmo tempo ou alternadamente.

Todas essas características fazem com que o Corrente Russa seja capaz de remodelar o corpo combatendo a flacidez, de várias origens, de forma rápida e eficaz.

Principais aplicações:

  • Hipotonia muscular de:
  • – Abdome
    – Glúteos
    – Membros inferiores
    – Membros superiores
    – Interno de coxa

  • Fortalecimento e aumento de tônus muscular:
  • – Pós-parto
    – Pós-emagrecimento
    – Pré e pós-lipoaspiração

  • Melhora da performance de atletas:
  • – Recuperação da força muscular
    – Melhor rendimento
    – Preparação para qualquer trabalho

  • Reeducação postural
  • Estimulação do fluxo sanguíneo e linfático

http://www.corumba.com.br/personalite/contato.htm