O fortalecimento do quadril antes dos exercícios funcionais reduz mais rápido que o fortalecimento do quadriceps em mulheres com a síndrome da dor patelofemural em mulheres

Continuando os artigos sobre condromálacea patelar em mulheres.

Em agosto de 2011 um grupo de pesquisadores da J Orthop Sports Phys Ther  analisaram se mulheres com a síndrome da dor patelofemural que realizaram o fortalecimento do quadril antes dos exercícios funcionais demonstraram resultados mais satisfatórios que as mulheres que realizaram fortalecimento do quadrícipes antes dos mesmos exercícios funcionais.

Embora a síndrome da dor patelofemural ter sido atribuída a disfunção do quadrícipes, recentes estudos tem ligado essa condição ao comprometimento da musculatura do quadril. O fortalecimento dos membros inferiores tem sido considerado uma intervenção eficaz. Embora, os pesquisadores analisarem o exercícios com suporte de peso, não deixando claro se a força maior no quadril, quadricipes ou em ambos são benéficos.

Foram avaliados trinta e três mulheres com síndrome da dor patelofemural realizaram o fortalecimento do quadril (grupo quadril) ou quadrícipes (grupo quadrícipes) por 4 semanas, antes de 4 semanas de um programa similar de exercícios funcionais com suporte de peso. O auto registro da dor, função e força functional foram avaliados.  O fortalecimento isométrico foi realizado para o abdutores de quadril rotadores externos e extensores de joelho.

Após 4 semanas, houve menas dor no grupo quadril que no grupo quadrícipes. Da linha de base para 8 semanas, o grupo quadril demonstrou um aumento de força do quadril de 21% na força do abdutor, enquanto que o grupo quadrícipes não apresentaram mudanças. Todas as participantes mostraram melhora subjetiva da função, função objetiva, e na força do rotador externo de quadril, no teste de base após 8 semanas.

Ambas abordagem de reabilitação melhora a função e diminui a dor. Para pacientes com síndrome da dor patelofemural, inicialmente o fortalecimento de quadril pode permitir uma dissipação precoce da dor que os exercícios focados no quadril.

J Orthop Sports Phys Ther 2011;41(8):560-570. Epub 7 June 2011.

 

 

 

 

Compartilhar/Favoritos

Orientações para pacientes em pós-operatório de ligamento cruzado anterior

http://www.proximus.com.br/news/sites/default/files/imagepicker/5/treinamento1_agosto_2010.jpg

O pós-operatório de ligamento cruzado anterior requer algumas prioridades como: alívio da dor, proteção da articulação e ganho de movimento do joelho. Com a finalidade de obter resultado mais rápidos, listamos algumas atividades que o paciente poderá realizar:

  • Aplicação de Gelo: o paciente deve realizar a aplicação de gelo, se possível 3x ao dia. Em caso de inchaço constante (edema), a aplicação deve ser feita de 4 em 4 horas até a resolução do mesmo. Esta aplicação deve ser realizada com o paciente de preferência deitado, com o joelho acima do nível do coração para ajudar a diminuir o inchaço. A duração da aplicação deve ser de 20 min. e não deve exceder esse tempo.
  • Massagem Cicatricial: consiste em uma massagem (com um pouco de óleo ou creme) com movimentos circulares realizada com o indicador e o dedo médio de cada mão, realizando com uma mão um círculo no sentido horário e com a outra no sentido anti-horário. Ela evita que a cicatriz fique aderida. É comum ao realizar o movimento, o paciente sinta dor no local ou próximo ao local do corte da cirurgia.
  • Uso de Muletas: A muleta deve ser usada nas primeiras 2 a 3 semanas e sua retirada deve ser  avaliada pelos profissionais da área da saúde de acordo com a dificuldade para andar e realização das atividades cotidianas. A muleta deve ser usada no lado contrário ao lado lesado. O uso correto é muito importante nessa fase inicial de recuperação, pois evita esforços nos tecidos que ainda estão se recuperando do processo cirúrgico.
  • Ganho de Movimento (amplitude): pode ser realizado com o paciente sentado em uma cadeira, com o pé da perna operada em cima da bola, realizando o movimento de deslizamento para frente e para trás fazendo com que o joelho dobre (flexão) e estique (extensão). Este exercício é denominado pela fisioterapia de mobilização ativa, pois a própria pessoa realiza o movimento.
  • Exercícios Isométricos para Quadríceps: Estes exercícios são realizados para aumentar a qualidade da contração muscular. O quadríceps porque é a musculatura frontal da coxa.

Exercício 1: Paciente deitado de barriga para cima com uma perna esticada e a outra dobrada. O paciente vai elevar a perna esticada numa altura que não ultrapasse o joelho dobrado e vai segurar contando até dez (10 segundos) e relaxar a perna.
Repetir 4 séries de 10 repetições cada com intervalo de 20 seg. entre cada repetição e intervalo de 1 min. entre cada série.

Exercício 2: Paciente sentado em uma cadeira vai esticar o joelho  até onde conseguir sem dor e vai segurar contando até dez (10 segundos) ou o tempo que conseguir inferior a 10 segundos.
Repetir 4 séries de 10 repetições cada com intervalo de 20 seg. entre cada repetição e intervalo de 1 min. entre cada série.

É importante lembrar que estes exercícios devem ser realizados intercalado com sessões de fisioterapia.

 Fonte:http://fisioterapiamazonas.blogspot.com.br/2009/05/pos-operatorio-de-ligamento-cruzado.html

 

Clínica Sphera
www.clinicasphera.com.br

Unidade São Paulo
Rua: Soldado João de Oliveira, 326, Pirituba, São Paulo- SP.

Unidade Santo André
Rua: dos Alpes, 603, Curuça, Santo André, SP.

Central de Atendimento: (11)  4509 – 4460,  (11) 4509- 4460

 

 

Treinamento em circuito é ideal para perda de peso

http://readysetgo.com.sg/wp-content/uploads/2012/03/circuit-training-homepage.jpg

 

O treinamento em circuito é considerado uma das melhores opções para quem quer emagrecer de forma saudável e definitiva. “O método consiste em uma série de exercícios dispostos em estações onde, o atleta executa o exercício proposto durante um tempo determinado pelo personal trainer, com pequenos intervalos.”explica o personal trainer David Marques.

Este tipo de treino é muito dinâmico e o atleta pode experimentar diferentes tipos de exercícios de musculação, corrida, ciclismo, step, ginástica, entre outros, utilizando diversos materiais como cones, arcos, bolas, elásticos, colchonetes e etc. Além disso, o número de exercícios e tempo de execução de cada um são determinados pelo profissional de acordo com o objetivo do atleta, sua modalidade e seu nível de condicionamento físico. Este tipo de treinamento melhora o condicionamento físico geral, desenvolve valências físicas específicas, fortalece grupos musculares importantes do desporto específico de um atleta.

O treino em circuito pode ser praticado por qualquer pessoa desde uma criança, como recreação, até uma pessoa obesa, como parte especifica do processo de emagrecimento. Nesta modalidade o praticante pode perder em uma única sessão até 200 calorias. Há ainda outras vantagens do treino como:

  • Pode ser realizado em qualquer lugar (praias, praças, parques, bosques e também lugares fechados como quadras e salas de ginástica);
  •  Pode ser praticado por uma pessoa ou um número variado delas, supervisionadas por um personal trainer;
  • Versatilidade do treinamento;
  • Os resultados se fazem perceber em um menor tempo.

O treinamento em circuito foi idealizado por R. E. Morgan e G. T. Adamson, em 1953, na Inglaterra. “Durante o inverno, impossibilitados de treinar nos campos abertos ao ar livre, os ingleses criaram um método de treinamento que poderia ser realizado em espaços menores e serviria para manter ou desenvolver as capacidades físicas dos atletas”, finaliza o personal trainer.

Fonte:http://www.educacaofisica.com.br/index.php/fitness/canais-fitness/treinamento-funcional/22259-treinamento-em-circuito-e-ideal-para-perda-de-calorias

SPHERA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA

http://www.spherafisioterapia.com.br

AGORA COM TREINAMENTO FUNCIONAL

SITUADA NA  RUA: SOLDADO JOÃO DE OLIVEIRA N 174 – SUBSOLO DA ACADEMIA ÁGUA VIDA. PIRITUBA, SÃO PAULO-SP

AVALIAÇÃO GRATUITA

AGENDE O SEU HORÁRIO (11) 2367 6584/ (11) 2367 6051/(11) 8266 9878

 

Osteoartrite e Treinamento Funcional

http://i0.ig.com/fw/45/72/zi/4572ziyfge6a5d7lxszlgx85q.jpg

A osteoartrite corresponde a um grupo de problemas que resulta em alterações anatômicas com conseqüentes repercussões nas articulações principalmente em joelhos, quadris, mãos e coluna vertebral.

A osteoartrite além de provocar dores, sensação de rigidez, edema (inchaço), ela também pode ocasionar perda dos movimentos, deformidades e até incapacidades do membro de acordo com a articulação atingida.

Em alguns casos não se conhecem os casos da osteoartrite primária ou idiopática, mas sabe-se que obesidade e esforços físicos repetitivos são alguns dos fatores de risco para a doença. Os casos secundários instalam-se como conseqüência de traumas, doenças reumatológicas, inflamatórias, doenças congênitas e enfermidades em que haja comprometimento dos nervos periféricos.

A maioria dos tratamentos para a osteoartrite envolve uma combinação elaborada para as necessidades de cada paciente. Os tipos de tratamentos incluem principalmente exercícios físicos, além de técnicas para o alívio de dor, remédios e terapias complementares.

Pesquisas mostram que exercícios físicos são uma das melhores formas de tratamento da doença. O Treinamento funcional também é indicado pois reduz dores e rigidez articular, melhora a flexibilidade e aumenta a amplitude do movimento, fortalece os músculos, proporciona maior estabilidade articular, Melhora da capacidade cardiorrespiratória refletindo em uma vida mais ativa, e ajuda na redução do peso corporal. O programa de exercícios não é apenas curativo. Ele também pode prevenir perdas de força muscular, de realização das atividades diárias, promover o controle de dor e evitar o estabelecimento de deformidades.

Em casos de pacientes com a osteoartrite grave e com idade mais avançada é preciso identificar se existe manutenção do quadro, pois a prática de exercícios físicos também é um meio de tratar e impedir a progressão da doença e das incapacidades associadas a ela.

Fonte: http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/osteoartrite/

http://www.copacabanarunners.net/artrose-tratamento.html

http://www.msdonline.com.br/pacientes/sua_saude/doencas_reumaticas/paginas/osteoartrite.aspx

SPHERA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA

http://www.spherafisioterapia.com.br

AGORA COM TREINAMENTO FUNCIONAL

SITUADA NA  RUA: SOLDADO JOÃO DE OLIVEIRA N 174 – SUBSOLO DA ACADEMIA ÁGUA VIDA. PIRITUBA, SÃO PAULO-SP

AVALIAÇÃO GRATUITA

AGENDE O SEU HORÁRIO (11) 2367 6584/ (11) 2367 6051/(11) 8266 9878

Treinamento Funcional: uma boa preparação para jogadores de futebol


O treinamento funcional tem dentro do futebol dois objetivos claros e interdependentes;

1-      Melhora do movimento específico do jogador durante as fases mais intensas e decisivas do jogo;

2-      Um maior equilíbrio das cadeias musculares, minimizando as chances de dores e lesões.

O treinamento funcional para jogadores de futebol é composto pelo Treinamento de Força, Core e Propriocepção.

O treinamento de força tem como função, melhorar a ação motora do jogador dentro de treinos e jogos, como realizar movimentos específicos para a potência do chute. No futebol , o atleta realiza diversas ações musculares intensas e curtas com longas pausas para as novas ações. A manipulação de exercícios de força, cria uma adaptação ao atleta para realizar os movimentos com mais mobilidade e segurança, diminuindo a chance de fadiga muscular.  Para o jogador desempenhar o seu melhor através do treinamento de força, o fortalecimento das suas articulações e bem como seu centro de equilíbrio e controle deve ser treinado e aprimorado através do treinamento do core e da propriocepção.

A região do core pode ser entendida com a conexão entre os membros superiores e inferiores, se tornado a base do movimento de cada indivíduo.  Com o core bem equilibrado e fortalecido, o jogador consegue realizar as ações musculares com maior segurança, gerando mais força com menos gasto de energia e conseqüentemente uma menor possibilidade de fadiga.

A propriocepção tem como principal característica o fortalecimento das articulações. Ela não age isoladamente na articulação, ela age também no fortalecimento da musculatura que compõe a articulação.

A principal diretriz para a aplicação treinamento funcional dentro do futebol é aplicar cada uma das vertentes de forma específica, simulando os exercícios com gestos iguais ou parecidos com os realizados pelos futebolistas dentro dos treinos e jogos. Os exercícios devem ser realizados pelos grupos musculares específicos do atleta com a alta intensidade, com a velocidade do movimento parecida com a do jogo e com a frequêcia dos movimentos próxima a realidade. O treino ainda pode trabalhar as três vertentes juntas ou isoladas cada uma, podendo evoluir de acordo com a aceitação e evolução do jogador

Fonte: http://bergpersonal.com/2011/11/25/beneficios-do-treinamento-funcional-para-o-futebol/